Peregrinação Inaciana aproxima jovens da mãe terra na Floresta Nacional do Tapajós

“Contemplar Deus em todas as coisas, e todas as coisas em Deus”, foi a citação norteadora para a Peregrinação Inaciana 2019, que aconteceu nos dias 13, 14 e 15 de setembro, na Floresta Nacional do Tapajós.



A experiência proporcionada pelo Espaço Magis Santarém trabalhou a temática do cuidado com a Amazônia. Inspirados pela Encíclica Papal Laudato Si’ e pelo Texto Base do Sínodo para a Amazônia, os jovens caminharam, e rezaram a importância do cuidado para harmonia do homem com a criação. O convívio na realidade daquela comunidade proporcionou aos jovens uma melhor experiência, instigando nos mesmos um sentimento de responsabilidade por cada parte deste solo, e assim reconheceram-se como membros da grande ecologia proposta pelo Sínodo.


A caminhada contou com breves paradas para refletir sobre alguns pontos chaves de nossa relação com o meio e a ancestralidade indígena. “Como é que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Se não possuírmos o frescor do ar e brilho das águas como é possível comprá-los? Cada pedaço desta terra é sagrado para o meu povo. Essa água que escorre é o sangue dos meus antepassados, a seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho (homem indígena). Se lhe vendermos as terras, devem antes de tudo lembrar que é sagrada, e tudo que nela existe. Devemos ensinar nossas crianças, que o rio e os animais são nossos irmãos. Sabemos que homem branco não compreende nossos costumes, a cinza do solo é a cinza dos meus avós, se machucamos a terra, ferimos a nós mesmos. Portanto, devemos dar a natureza a bondade que dedicaríamos a qualquer irmão. O que acontece com a terra, recai sobre nós, filhos dela. Somos parte da Amazônia, estamos no século do fim da vida e o início de uma sobrevivência, que possamos sentir este solo de maneira viva a pulsar em nossos corações."



Os jovens receberam também formação sobre o Programa Magis Brasil, com ênfase no eixo Justiça Socioambiental. “A peregrinação foi onde pude me situar dentro do ambiente e da região onde vivo, com tudo isso que está acontecendo em nosso país. Presenciar naquele lugar a beleza e sentir-se parte dela, não tem preço, faltam palavras para descrever. A espiritualidade inaciana é indescritível, através dela sinto-me motivada a seguir lutando pela natureza que nos cerca”, nos conta Ada Gabriela, de Santarém.


"Deixo aqui meu sentimento consolador de gratidão pela experiência vivida. Somos a esperança da nação e cuidadores do meio ambiente. Dizem que é muita terra para pouco índio, mas é pouco índio para cuidar da biodiversidade do planeta. A iniciativa proposta pela Peregrinação me motivou a partilhar com meus irmãos, os povos originários da minha cultura, e a acreditar mais ainda na importância do solo sagrado através da Mãe Natureza”. (Arllen Tapuia – 19 anos – Colaborador do Espaço Magis Santarém)



O desejo pelo conhecimento do sagrado está presente na vida de cada jovem, e a Peregrinação Inaciana teve como objetivo mostrar a cada um que podemos encontrar o rosto divino do criador em cada canto da “grande tapera do mundo” que é a nossa Amazônia.

0 visualização